Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo WTI fecha a um recorde de US$ 143,57

Nova York, 2 jul (EFE).- O preço do barril de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) subiu hoje 1,84% e fechou a um preço recorde de US$ 143,57, depois que o Departamento de Energia americano informou que as reservas de petróleo dos Estados Unidos se reduziram em mais de dois milhões de barris na última semana.

EFE |

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de futuros do WTI, de referência nos Estados Unidos, subiram US$ 2,6 e fecharam pela primeira vez acima dos US$ 143, após tocar, durante o pregão, um recorde histórico de US$ 143,91.

A alta do petróleo ocorreu após ser divulgado que as reservas de petróleo nos Estados Unidos se reduziram em dois milhões de barris na semana passada, até 299,8 milhões.

O Departamento de Energia americano informou hoje dessa redução, que quase duplica as previsões dos analistas e que deixa as reservas 15,3% abaixo do nível de há um ano.

No que se refere ao estoque de gasolina, o departamento afirmou que as reservas aumentaram em 2,1 milhões de barris, até 210,9 milhões, apesar de os analistas esperarem um aumento de 500 mil barris.

Apesar destes dados, o preço dos contratos de futuros da gasolina para entrega em agosto subiu US$ 0,03, até os US$ 3,54 por galão, frente aos US$ 3,51 do fechamento anterior.

As reservas de combustível para calefação subiram em 1,3 milhão de barris em relação à semana anterior (a metade do previsto pelos analistas), o que supõe um aumento de 1,1%, situando-as em 120,7 milhões.

Na Nymex, o combustível para calefação para entrega em agosto subiu US$ 0,13, para fechar a US$ 4,07 por galão, frente aos US$ 3,94 de terça-feira.

O Departamento de Energia americano informou que, na semana passada, as refinarias petrolíferas dos Estados Unidos operaram a 89,2% de sua capacidade, acima dos 88,6% ao que trabalharam na semana anterior.

Já os contratos de gás natural para entrega em agosto desceram US$ 0,12 e terminaram o pregão a US$ 13,38 por cada mil pés cúbicos.

EFE bj/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG