Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo termina o dia em alta com fraqueza do dólar

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta em Londres e Nova York, em um movimento inspirado pelo recuo do dólar nos mercados de moedas, segundo operadores e analistas. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos futuros de petróleo com entrega em setembro subiram US$ 1,66, ou 1,47%, e fecharam a US$ 114,53 por barril.

Agência Estado |

Incluindo as transações do sistema eletrônico Globex, a mínima foi de US$ 111,64 por barril e a máxima de US$ 116,65 por barril.

Em Londres, no sistema eletrônico da Bolsa Intercontinental, os contratos de petróleo Brent para outubro subiram US$ 1,31, ou 1,17%, e fecharam a US$ 113,25 por barril. A mínima foi de US$ 110,70 por barril e a máxima de US$ 115,38 por barril.

Na Nymex, os futuros de petróleo fecharam dentro da faixa de oscilação da última semana. Depois de oscilar perto dos níveis de fechamento anterior no início da sessão, o movimento de compras se acelerou quando o dólar reverteu os ganhos do dia em relação ao euro. O petróleo é sempre procurado por investidores que buscam se proteger (fazer hedge) contra uma queda do dólar. "O principal catalisador foi o dólar", disse Mark Waggoner, presidente da Excel Futures. "O dólar foi mais importante do que qualquer outra coisa", acrescentou.

A tempestade tropical Fay, que chegou hoje ao sul da Flórida, também gerou preocupações no mercado de petróleo, Embora o Centro Nacional de Furacão (NHC, na sigla em inglês) tenha informado que a tempestade caminha em direção Nordeste, operadores disseram que meteorologistas privados identificaram uma chance de ela se mover para Oeste, em direção a uma área crítica de infra-estrutura de petróleo dos EUA na costa do Golfo do México.

Embora os preços tenham disparado quase US$ 4,00 na máxima do dia, os futuros de petróleo moderaram os ganhos diante dos sinais de deterioração da demanda. Na semana passada, a demanda por gasolina, medida pelas compras na bomba, caiu 7,8% em comparação com igual semana do ano passado, segundo informou uma unidade do MasterCard Inc.

Apesar da fraca demanda nos EUA, a Agência Internacional de Energia espera que a demanda por petróleo cresça 0,9%, ou 800 mil barris por dia, para 86,9 milhões de barris diários este ano, com um maior consumo da China e outras economias emergentes.

Nesta quarta-feira, os participantes do mercado estarão atentos aos dados sobre os estoques comerciais norte-americanos do Departamento de Energia. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG