Os contratos futuros de petróleo, negociados no mercado internacional, operam em alta hoje, em um momento de pausa após a queda livre registrada ontem, quando a matéria-prima (commodity) caiu cerca de 10% tanto em Londres quanto em Nova York. De modo geral, a commodity segue os mercados financeiros globais, que ensaiam recuperação hoje.

"O petróleo verá o que o que vai acontecer em Wall Street hoje", disse o diretor de mercados de óleo da Energy Security, Rick Mueller. "As preocupações com a economia ainda estão aí, e não deverão se dissipar". Mueller duvida que o contrato conseguirá ultrapassar a marca de US$ 100 o barril sem um novo plano de resgate do governo dos Estados Unidos que substitua o que foi rejeitado ontem.

A inversão da direção do mercado de petróleo - na semana passada os contratos estavam próximos de US$ 110 o barril - marca a retomada de uma longa trajetória de baixa iniciada em julho. As preocupações com a demanda fraca têm dominado as operações desde que os futuros atingiram o recorde de US$ 147,27 o barril durante sessão do dia 11 de julho. Nesse período, a queda foi interrompida apenas pelo impacto dos furacões na infra-estrutura petrolífera da Costa do Golfo e pelas quedas de estoques.

Por volta das 11h10 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em novembro subia 2,13%, a US$ 98,42 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento avançava 2,40% a US$ 96,30 o barril. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.