Os preços do petróleo aumentaram novamente nesta quinta-feira em Nova York, depois de duas sessões consecutivas de forte baixa provocadas pela redução da demanda energética.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril 'light sweet' para entrega em setembro fechou em 125,49 dólares, uma alta de 1,05 dólar em relação ao fechamento da véspera.

"Os preços estão se estabilizando, mesmo se os investidores percebem que a deterioração da conjuntura econômica vai afetar a demanda", declarou Mike Ftitzpatrick, da MF Global.

Depois de ter perdido quase 4 dólares na véspera, os preços do barril de ouro negro voltaram a subir nesta quinta-feira.

Estes movimentos foram provocados por notícias como as ameaças do principal grupo armado da região do delta do Níger (Mend) na Nigéria e as represálias da Líbia contra a Suíça, opinou Ellis Eckland, analista independente radicado em Chicago.

O Mend teria anunciado quarta-feira a intenção de atacar oleodutos nos 30 próximos dias. Já Trípoli anunciou nesta quinta-feira a suspensão do fornecimento de petróleo à Suíça, em resposta à breve detenção de um filho do presidente líbio Muammar Kadhafi em Genebra.

Apesar de negativas para o abastecimento, estas informações não vão impedir a tendência de diminuição dos preços, analisou Phill Flynn, da Alaron Trading.

"Os preços vão descer até 120 dólares o barril, devido à redução do consumo em vários países industralizados", previu Fitzpatrick.

llo/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.