Os preços do petróleo subiram hoje, impulsionados pelo surpreendente declínio nos estoques comerciais norte-americanos de gasolina. Contudo, as persistentes preocupações com a fraqueza da economia dos EUA limitaram os ganhos, segundo operadores e analistas.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos futuros de petróleo para março subiram US$ 0,58, ou 1,39%, e fecharam a US$ 42,16 por barril. Incluindo as transações do sistema eletrônico Globex, a mínima foi de US$ 40,60 e a máxima de US$ 43,60.

Os futuros de petróleo subiram inspirados pela disparada dos preços dos futuros de gasolina, que reagiram ao relatório do Departamento de Energia (DoE) norte-americano que apontou uma queda de 100 mil barris nos estoques na semana passada, quando os analistas estavam esperando um aumento de 1,5 milhão de barris.

Os contratos de gasolina RBOB para fevereiro subiram US$ 0,0750, ou 6,77%, e fecharam a US$ 1,1835 por galão na Nymex.

No entanto, a alta do petróleo foi magra comparada com a queda de 9% dos preços ontem, uma vez que poucos operadores estão dispostos a apostar em uma virada na demanda por gasolina. O relatório do DoE também mostrou que os estoques de petróleo bruto aumentaram em 6,2 milhões de barris na semana passada, superando de longe as expectativas dos analistas e reforçando o fraco estado da demanda nos EUA.

O mercado de petróleo também estava atento à reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), que disse em seu comunicado que vê a demanda global "desacelerando significativamente", enquanto antecipa uma recuperação gradual no final do ano. Os membros do Fed votaram pela manutenção das taxas de juro, mas disseram que estão preparados para adotar a controversa medida de compra de Treasuries de longo prazo.

O comunicado do Fed não trouxe grandes surpresas, o que ajudou o dólar a subir frente ao euro, que, por sua vez, levou os contratos de petróleo a devolverem parte dos ganhos do dia. Operadores que haviam vendido o dólar em antecipação a um movimento inesperado compraram a moeda de volta após a conclusão da reunião do Fed. Os futuros de petróleo frequentemente se movem na direção oposta da do dólar, uma vez que os investidores usam um ativo para equilibrar sua carteira contra o movimento no outro ativo.

Na ICE Futures, em Londres, os contratos de petróleo Brent para março fecharam a US$ 44,90 por barril, em alta de US$ 1,17, ou 2,68%. A mínima foi de US$ 43,76 e a máxima de US$ 46,19. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.