Os contratos futuros de petróleo, negociados no mercado internacional, operam em alta de cerca de 2%, com a desvalorização do dólar ante as principais moedas estrangeiras e contínuas preocupações geopolíticas. Os preços de energia estão firmes porque o declínio do dólar há dois dias tirou um pouco do fôlego dos investidores com apostas baixistas, comentou Stephen Schork, editor da newsletter de energia Schork Report.

Às 9h17 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em outubro subia 2,34%, a US$ 118,26 por barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento avançava 2,33%, a US$ 116,80 por barril. No mesmo horário, o euro subia 0,27% a US$ 1,4816.

Participantes do mercado também mencionaram a disputa entre Rússia e Geórgia sobre a região da Ossétia do Sul como um fator de suporte para os preços. Alguns operadores acreditam que se o movimento no petróleo continuar, o contrato pode voltar aos US$ 120 por barril.

Em termos de fundamentos de oferta e demanda, os participantes avaliam se a desaceleração do crescimento da demanda por petróleo nas economias avançadas pode fazer com que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) diminua a produção. "Os mais agressivos dentro do cartel temem permitir que países ocidentais construam uma espécie de reserva para o inesperado, porque isso tem o potencial de levar os preços de volta aos níveis normais ou economicamente sustentáveis", disse Peter Beutel, analista da consultoria Cameron Hanover. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.