Os contratos futuros de petróleo, negociados no mercado internacional, operam em alta na manhã de hoje, impulsionados pelas notícias de que o furacão Ike deve emergir no Sul do Golfo do México e representar uma ameaça para a infra-estrutura de energia dos Estados Unidos na região. Analistas disseram que parte da alta é alimentada também pela precificação das expectativas dos analistas de que o próximo relatório semanal sobre os níveis dos estoques comerciais americanos, divulgado pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) às quartas-feiras, vai mostrar uma acentuada queda nos estoques e na taxa de ocupação das refinarias, como resultado da passagem do furacão Gustav no Golfo do México na semana passada.

Também contribui para a alta dos preços, as expectativas com relação a reunião ministerial da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que se reúne amanhã em Viena. "Os preços subiram de forma acentuada durante a noite, com os investidores comprando em antecipação aos dados do DOE, a aproximação do poderoso furacão Ike e o encontro dos ministros da Opep amanhã", disse Peter Beutel, presidente da Cameron Hanover. "Embora muitos analistas esperem que o cartel deixe as cotas (de produção) inalteradas, vários ministros vão pedir um corte na produção e poderá haver um movimento para reduzir os níveis oficiais", acrescentou.

O foco imediato do mercado, porém, é o furacão Ike, que foi rebaixado esta manhã para a categoria dois - com ventos máximos sustentados ao redor de 165 quilômetros por hora (km/h) - ao atingir a ilha de Cuba. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês), Ike vai atravessar a parte central de Cuba ainda hoje e deverá emergir no Sudeste do Golfo do México na noite de amanhã.

Por volta das 8h30 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em outubro subia 1,22% a US$ 107,53 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Em Londres, o contrato do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento avançava 1,04% a US$ 105,17 o barril, na Bolsa Intercontinental (ICE). As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.