SÃO PAULO - Um conjunto de fatores contribuiu para a valorização significativa dos preços do petróleo hoje no mercado internacional. Além de operações técnicas voltadas para a expiração do contrato mais curto em Nova York, os agentes reagiram também ao comportamento dos estoques de cru nos Estados Unidos, que caíram pela primeira vez no ano, contrariando as expectativas de um novo aumento.

O contrato de WTI negociado para o mês de março negociado em Nova York, cuja negociação encerra amanhã, registrou avanço de US$ 4,86, para US$ 39,48. O vencimento para o mês seguinte subiu US$ 2,77, para US$ 40,18. Em Londres, o barril de Brent para o mês de abril fechou a US$ 41,99, com aumento de US$ 2,44. O vencimento para maio terminou valendo US$ 43,28, com valorização de US$ 2,53.

Dados divulgados hoje pelo Departamento de Energia dos EUA mostram que os estoques de petróleo cru diminuíram em 200 mil barris, para 350,6 milhões de barris na semana passada. As reservas de destilados diminuíram em 800 mil barris, mas os estoques de gasolina subiram em 1,1 milhão de barris no período.

O consumo nos Estados Unidos ficou em 20 milhões de barris diários nas últimas quatro semanas, um aumento de 2,6% em relação ao consumo apurado um mês antes.

Mas os analistas lembram que o vencimento do contrato de março, amanhã, deu forte impulso para a valorização do produto, devido ao aumento de compras para cobrir posições, portanto, movimento técnico, dissociado de fundamentos.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.