Os preços do petróleo terminaram acima dos US$ 77 nesta quinta-feira em Nova York, o maior nível em um ano, com o barril de referência ganhando 2,40 dólares, a US$ 77,58, sustentados pela queda das reservas de gasolina nos Estados Unidos.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577203626&_c_=MiGComponente_C

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de "light sweet" (denominação do West Texas Intermediate nos Estados Unidos) para entrega em novembro fechou a US$ 77,58, uma alta de US$ 2,40 em relação ao fechamento de quarta-feira. Este é seu maior preço desde 14 de outubro de 2008.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega em novembro fechou a US$ 74,45, com um ganho de US$ 1,35.

O barril de cru caiu no mercado nova-iorquino após a divulgação de estatísticas semanais sobre as reservas nos Estados Unidos.

"Afetado por uma demanda moderada, a queda da oferta contribuiu para uma queda nas reservas americanas", explicaram analistas do Morgan Stanley.

Enquanto as reservas de petróleo aumentaram 400 mil barris, as de gasolina caíram 5,2 milhões de barris, para surpresa dos analistas do setor que esperavam uma alta.

As reservas de produtos destilados (diesel e combustível para calefação) também caíram mais que o previsto, em 1,1 milhão de barris.

Segundo analistas, os preços do cru foram sustentados nesta quinta-feira pela fragilidade do dólar.

Leia mais sobre petróleo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.