Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo sobe, à espera de dados dos EUA e Opep

Os contratos futuros do petróleo, negociados no mercado internacional, operam em forte alta tanto em Londres quanto em Nova York, em reação ao anúncio de corte de juro do banco central da China. Porém, os investidores aguardam a divulgação dos dados sobre a posição dos estoques da matéria-prima (commodity) nos Estados Unidos para ajustar posições antes do feriado de Ação de Graças nos país, amanhã, e da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), no sábado.

Agência Estado |

Às 12h11 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em janeiro de 2009 subia 3,70%, para US$ 52,65 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Na Bolsa Intercontinental (ICE), em Londres, o contrato do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento avançava 4,49%, para US$ 52,61 o barril.

O Banco do Povo da China informou hoje que cortou a taxa de referência de depósitos e a de empréstimo em 1,08 ponto porcentual, para estimular o crescimento firme do crédito. A medida foi vista como positiva pelo mercado de petróleo e impulsionou os preços, mas analistas questionam qual será a duração do suporte, já que o petróleo mostrou resistência a uma série de outras iniciativas similares.

"O fluxo de notícias positivas nas últimas semanas não conseguiu dar suporte aos preços. O corte de produção da Opep, os perigos da pirataria, a redução nas taxas de juros, pacotes e auxílios de todos os tipos, todos fracassaram. O sentimento está muito fraco no momento e é justamente ele que está conduzindo os preços."

A posição dos estoques norte-americanos de petróleo, que deve ser divulgada às 13h35 (de Brasília), pode ser o último dado relevante para o mercado da commodity esta semana, que para muitos analistas será mais curta devido ao feriado de Ação de Graças nos EUA, amanhã. Para especialistas, os números sobre a demanda devem ser a leitura mais importante.

Opep

Os participantes do mercado também aguardam o resultado de uma reunião de emergência da Opep no fim de semana. Comentários divergentes dos membros do cartel ao longo da semana cercaram os investidores de dúvidas a respeito da possibilidade de o grupo anunciar um novo corte na produção.

"Suspeitamos que, caso os preços do petróleo não passem por uma alta até o fim de semana, as autoridades do cartel anunciarão um corte de produção antes da reunião oficial da Opep no dia 17 de dezembro, na Argélia", disse Edward Meir, analista da MF Global em Nova York. Em reunião de emergência ocorrida em outubro, a Opep anunciou um corte de 1,5 milhão de barris por dia na produção para tentar deter o declínio dos preços, que seguiram em baixa mesmo assim. "Duvidamos que a Opep possa se dar ao luxo de esperar mais três semanas antes de anunciar uma decisão inevitável", acrescentou Meir. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG