Tamanho do texto

Os preços dos contratos futuros de petróleo subiram, refletindo um avanço no mercado de ações por volta do horário de encerramento dos negócios com o óleo e uma recuperação da forte queda de ontem. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato para abril do petróleo leve subiu US$ 1,50, ou 3,7%, para US$ 41,65 o barril.

Ontem, o mesmo contrato terminou em baixa de 10,30%. No mercado eletrônico ICE, de Londres, o contrato do Brent para abril subiu US$ 1,49, para US$ 43,70 o barril.

Os preços na Nymex oscilaram entre US$ 32 e US$ 50 o barril desde o início de dezembro, respondendo, alternadamente, ao enfraquecimento da demanda e aos consequentes cortes na produção de petróleo. Muitos analistas esperam que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) corte a produção, além dos 4,2 milhões de barris por dia que já decidiu tirar do mercado, quando se reunir em Viena no próximo dia 15.

Como um sinal das perspectivas para a demanda, os operadores de petróleo têm acompanhado os mercados acionários nos últimos dias e os preços do petróleo vêm se movimentando em linha com as ações. Hoje, os contratos futuros do produto fecharam em alta quando o índice acionário Dow Jones voltou ao território positivo no meio da tarde.

"Quando não temos algo suficientemente forte nos fundamentos do petróleo para orientar os preços, olhamos mais para o quadro financeiro geral", disse Gene McGillian, analista da corretora Tradition Energy em Stamford, Connecticut.

Além da Opep, os preços mais fracos do petróleo levaram produtores a cortarem projetos que não são mais economicamente viáveis. A BP informou hoje que sua produção de petróleo e gás crescerá mais lentamente do que se previa. A empresa modificou seus planos de investimento, estimando a produção em 2012 entre 150 mil e 300 mil barris de óleo equivalente por dia abaixo da meta anterior.

Uma ameaça imediata à oferta veio da explosão de um oleoduto na Nigéria. A operadora Royal Dutch Shell PLC paralisou algumas operações próximas ao oleoduto "para minimizar os danos ambientais", disse um porta-voz da Shell. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.