SÃO PAULO - A redução dos temores associados com a passagem do furacão Gustav pelo Golfo do México, o fortalecimento do dólar e o monitoramento da situação da demanda global por petróleo são os elementos sob consideração nos mercados do produto.

Inspeções iniciais promovidas por algumas refinarias nos Estados Unidos não apontaram danos causados pelo Gustav, que foi perdendo força ontem e nesta manhã. Outras instalações registraram prejuízos mínimos.

Vale recordar que o Golfo do México abriga parte da produção petrolífera americana. Muitas empresas de petróleo na região resolveram suspender suas atividades antes da chegada do Gustav e agora a expectativa de que as operações retomem em breve.

Instantes atrás, em Nova York, o WTI com entrega em outubro diminuía US$ 6,78 em relação ao fechamento de sexta-feira da semana passada, a US$ 108,68. O contrato de novembro estava a US$ 109,17, com decréscimo de US$ 6,68. Ontem, os mercados nos Estados Unidos ficaram fechados devido a feriado.

Em Londres, o Brent para outubro estava a US$ 107,46, com queda de US$ 1,95 no confronto com o valor registrado no término dos negócios na segunda-feira. O contrato de novembro era transacionado a US$ 108,96, baixa de US$ 1,85.

Leia mais sobre petróleo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.