Os preços do petróleo conseguiram se recuperar nesta terça-feira em Nova York e Londres, depois de uma queda de 10% na segunda, em um mercado que operou com prudência diante das incertezas sobre a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) sobre sua oferta.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de West Texas Intermediate (designação do "light sweet crude" negociado nos EUA) para entrega em abril ganhou 1,50 dólar, negociado a 41,65 dólares no fechamento.

Na InterContinental Exchange de Londres, o barril de Brent do mar do Norte com o mesmo vencimento avançou 1,49 dólar, cotado a 43,70 dólares.

Segundo o analista independente Ellis Eckland, os preços se beneficiaram de uma "recuperação" depois da queda "extrema" de mais de 4 dólares (-10%) registrada na segunda-feira, em uma "reação exagerada à baixa do mercado financeiro".

Os investidores que apostaram em uma nova queda do barril preferiram realizar seus lucros, estimulados pela situação na Nigéria, explicou por sua vez Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

Um oleoduto da anglo-holandesa Shell, que alimenta um importante terminal no sul da Nigéria, um dos principais produtores de cru da África, explodiu durante o fim de semana, levando o grupo a interromper a produção em vários lugares.

"O mercado começa a concetrar sua atenção na reunião da Opep no dia 15 de março", indicou Lipow.

O cartel já havia anunciado em 2008 que reduziria seus níveis de produção em 4,2 milhões de barris diários.

"O mercado espera uma nova redução da produção, diante da queda na demanda", observou Lipow.

gmo/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.