Tamanho do texto

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa, mas em transações voláteis, sem uma direção definida, em tanto em Londres como no sistema eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), enquanto os participantes do mercado observam o desenvolvimento da tempestade tropical Fay no Caribe e os movimentos do dólar. Às 9h51 (de Brasília), em Londres, os contratos futuros de petróleo tipo Brent com vencimento em outubro caíam 0,20%, a US$ 112,32 o barril.

No mesmo horário, em Nova York, os contratos futuros do petróleo tipo WTI com vencimento em setembro estavam em baixa de 0,27%, a US$ 113,46 o barril.

As atenções do mercado permanecem voltadas para a tempestade tropical Fay, no momento sobre a ilha de Cuba, e seu potencial impacto sobre a infra-estrutura de petróleo no Golfo México. Alguns modelos meteorológicos mostram que a tempestade pode se desviar em direção a oeste, podendo alcançar o Mississippi ou o Alabama, disse Olivier Jakob, diretor-gerente da Petromatrix. "Um rumo em direção as refinarias ainda não pode ser totalmente descontado, mas em qualquer caso, a intensidade prevista da tempestade não a torna uma grande ameaça", disse Jakob.

Mais cedo, a Royal Dutch Shell PLC disse que tinha retirado seu pessoal que trabalha em plataformas de algumas operações no Golfo do México, como precaução antes da chegada da tempestade. Contudo, a companhia informou que sua produção não foi afetada.

No início do dia, os preços do petróleo receberam impulso de alta das notícias sobre uma interrupção na oferta relacionada ao conflito militar entre Geórgia e Rússia na região da Ossétia do Sul. As exportações de petróleo de cerca de 50 mil/70 mil barris/dia do Azerbaijão, por trem através da Geórgia, foi suspensa após a destruição de uma importante ponte na Geórgia. A administração ferroviária da Geórgia busca rotas alternativas, mas a suspensão em andamento dos oleodutos Baku-Supsa e Baku-Tbilisi-Ceyhan (TBC) significam que os 100 mil barris/dia do oleoduto Baku-Novorossiisk são a única rota de exportação para o ocidente do petróleo do Azerbaijão

Os participantes do mercado de petróleo também estão atentos aos movimentos do dólar, após sua recuperação na semana passada, que poderá manter um teto sobre qualquer ganho relacionado à oferta. "Eu penso que a direção do dólar será fundamental esta semana para barrar qualquer surpresa meteorológica. Se (o dólar) continuar a registrar ganhos, apesar de parecer um tanto esticado, as condições para um movimento de baixa sustentada no petróleo parecem concebíveis", disse Hamza Hamza, gerente de fundos da Sucden U.K. Ltd em Londres. As informações são da Dow Jones.