SÃO PAULO - Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa expressiva nesta quarta-feira diante da valorização do dólar e do aumento dos estoques da commodity nos Estados Unidos. Em Nova York, o vencimento de maio, perdeu US$ 1,30, ou 1,6%, para US$ 80,61 o barril, enquanto o contrato de junho recuou US$ 1,24, para US$ 81,01. Em Londres, o Brent de maio caiu US$ 1,08, ou 1,3%, para US$ 79,62 o barril, e o de junho perdeu US$ 1,03, para 80,07.

As cotações refletiram principalmente a valorização do dólar perante o euro, que foi afetado hoje pela notícia de rebaixamento da classificação de risco de Portugal pela Fitch.

A dívida soberana portuguesa foi rebaixada para " AA- " , com perspectiva negativa. A agência considerou que o crédito do país se deteriorou diante de um choque fiscal necessário em meio a fragilidades macroeconômicas e estruturais. O déficit do governo foi de 9,3% do Produto Interno Bruto (PIB), comparado à projeção de 6,5% em setembro.

Os investidores acompanharam ainda a divulgação dos estoques de petróleo dos Estados Unidos. As reservas de óleo cru aumentaram em 7,3 milhões de barris na semana passada, para 351,3 milhões de barris. Por outro lado, hoje queda de 2,7 milhões de barris nas reservas de gasolina e de 2,4 milhões em destilados.

Outro dado relevante do dia foi o de encomendas de bens duráveis nos EUA, que subiu 0,5% em fevereiro. Foi o terceiro aumento mensal consecutivo e veio na sequência da alta de 3,9% apurada em janeiro.

Também foram divulgadas as vendas de moradias novas nos EUA, que diminuíram 2,2% no mês passado, para uma taxa anualizada de 308 mil unidades. Em janeiro, a marca registrada foi de 315 mil unidades, após revisão. O indicador também ficou 13% abaixo do nível verificado em fevereiro de 2009.

(Téo Takar | Valor com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.