Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo recua com alta nos estoques de gasolina

Os contratos futuros de petróleo voltaram a fechar em baixa acentuada na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), depois que o crescimento muito acima do esperado dos estoques comerciais de gasolina nos Estados Unidos reforçou os temores do mercado sobre a deterioração da demanda, avaliaram operadores e analistas. Com exceção do fechamento positivo de segunda-feira, os contratos de petróleo seguem acumulando perdas desde o dia 15.

Agência Estado |

Em relação ao recorde de fechamento de US$ 145,29 por barril, registrado em 3 de julho, a queda já soma quase US$ 21.

No final da manhã, o Departamento de Energia dos EUA (DoE) informou que os estoques de gasolina aumentaram em 2,8 milhões de barris na semana passada, muito acima da previsão de crescimento de 200 mil barris dos analistas. Muitos operadores viram o dado como um sinal de erosão da demanda nos EUA diante dos aquecidos preços de energia.

"Durante anos, as pessoas nunca consideraram abrir mão de seus carros para seus deslocamentos diários casa-trabalho-casa e realmente estamos neste ponto", disse o chefe de transações da LaSalle Futures Group em Chicago, Matt Zeman. "As pessoas estão de fato fazendo um esforço para consumir menos energia para reduzir custos", acrescentou.

O crescimento muito acima do esperado nos estoques de produtos equilibrou o declínio de 1,6 milhão de barris nos estoques de petróleo bruto, de uma estimativa de queda de 400 mil barris dos analistas. "Os números (dos estoques) de petróleo bruto e produtos meio que anularam um ao outro aos olhos da maioria" dos participantes do mercado, disse o vice-presidente da Vantage Trading, Peter Donovan.

Ao longo das últimas seis semanas, os preços do petróleo receberam impulso de alta dos problemas de produção na Nigéria a tensão diplomática entre Irã e Israel. Com a diminuição daquelas preocupações, os operadores vêm descontando o "prêmio medo" e começaram a considerar se a última etapa de alta foi exagerada. "Tivemos uma arrancada bastante explosiva no lado da alta sem realmente termos motivos de fundamentos verdadeiros", disse o presidente da T.W. Energy Consulting, Peter Van Cleve.

Na Nymex, os contratos futuros de petróleo com entrega em setembro caíram US$ 3,98, ou 3,10%, e fecharam a US$ 124,44 por barril; a mínima oi de US$ 124,12 e a máxima de US$ 128,70. Na Bolsa Intercontinental, de Londres, os contratos de petróleo Brent para setembro caíram US$ 4,26, ou 3,29%, e fecharam a US$ 125,29 por barril; a mínima foi de US$ 124,99 e a máxima de US$ 129,50. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG