O representante do Irã na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Mohammad Ali Khatibi, afirmou que a insegurança regional pode provocar uma explosão de preços que levaria os preços do petróleo para até US$ 500,00 por barril. Se o dólar cair mais e se a crise política se tornar mais grave, o preço do petróleo atingirá até US$ 500,00, declarou Khatibi à revista semanal iraniana Shahrvand-e-Emrooz.

O preço recorde do barril de petróleo até hoje foi de US$ 145,29 na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) e de US$ 146,08 na plataforma de negociações ICE, de Londres, ambos em 3 de julho passado. Nesta manhã, o barril do petróleo era negociado a US$ 123,83, alta de 0,45% no dia, no pregão eletrônico da Nymex. Em Londres, o barril estava cotado a US$ 125,20, alta de 0,55%.

Ao falar sobre o cenário de tensão entre seu país com os EUA e Israel, Khatibi disse que "se o estado de guerra prevalecer na região, não é só a produção do Irã que será cortada, mas a de toda região. Se o petróleo do Irã não puder deixar a região, o petróleo dos outros também não conseguirá sair."

Já o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou em entrevista à rede de TV norte-americana NBC que o petróleo está "supervalorizado" e que os preços nos mercados internacionais não são "realistas". Ahmadinejad disse ainda que os mercados estão "manipulados". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.