Os preços do petróleo caíram fortemente nesta segunda-feira, perdendo mais de cinco dólares em Nova York e Londres, depois da decisão do final de semana da Opep de não reduzir suas cotas de produção.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do West Texas Intermediate (designação do "light sweet crude" negociado nos EUA) para entrega em janeiro baixou 5,15 dólares em relação ao fechamento de sexta-feira, encerrando em 49,02 dólares.

Em Londres, o barril do Brent do Mar do Norte com igual prazo de vencimento perdeu 5,52 dólares, tendo sido negociado a 47,97 dólares.

"O cartel anunciou durante o final de semana que esperaria mais duas semanas para decidir sobre a redução da produção. Em conseqüência houve a baixa dos preços", explicou Mike Fitzpatrick, da MF Global.

A Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) tomará uma "iniciativa maior" de redução da oferta se o mercado se deteriorar, havia anunciado nesta segunda-feira, em Teerã, o secretário-geral do cartel, Abdalah el Badri, paralelamente a um fórum sobre petróleo e gás que acontece na capital iraniana.

A Opep manteve no sábado, no Cairo, a cota de produção em 27,3 milhões de barris por dia, e abriu a porta para uma redução da oferta em 17 de dezembro durante a reunião de Oran, na Argélia.

Em setembro, a Opep solicitou a seus membros que respeitassem as cotas definidas, o que significava, na prática, um corte de produção de cerca de 500.000 barris por dia.

Os 12 países da Opep concordaram em acompanhar com atenção as evoluções do mercado até a reunião da Argélia.

Abdallah el-Badri, foi ainda mais claro ao afirmar depois da reunião que existe na Opep "um consenso geral sobre uma ação para reduzir a produção durante a próxima reunião".

mla/cn/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.