NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo nos Estados Unidos fecharam em queda de mais de 2 dólares nesta terça-feira, com a Opep sinalizando a manutenção da produção mesmo com a baixa dos preços, enquanto dados sobre moradias nos EUA aumentaram as preocupações sobre uma queda na demanda. Os preços chegaram a subir com a Royal Dutch Shell declarando força maior para exportações a partir da Nigéria de julho a setembro, após militantes terem atacado um oleoduto no Delta Niger na segunda-feira.

'Os comentários do presidente da Opep, o dólar um pouco mais forte e a maior parte do mercado ainda com sentimento baixista dificultou a sustentação dos ganhos', disse Tom Bentz, analista da BNP Paribas Commodity Futures.

Após atingir uma mínima de 12 semana na Nymex, o contrato setembro caiu 2,54 dólares, ou 2,04 por cento, para fechar a 122,19 dólares por barril, sendo negociando entre 120,42, menor nível desde 6 de maio, e 125,85 dólares.

Uma onda de cobertura de posições vendidas antes dos dados dos estoques de quarta-feira limitaram as quedas do dia.

O petróleo atingiu um recorde a 147,27 dólares em 11 de julho.

Logo após o fechamento da sessão, um forte terremoto atingiu a área de Los Angeles. A Valero Energy, BP Plc e Chevron Corp afirmaram que suas refinarias não foram afetadas.

Em Londres, o contrato setembro do petróleo tipo Brent caiu 3,13 por cento, ou 2,49 por cento, a 122,71 dólares por barril, após ser negociado entre 120,88 e 126,79 dólares.

(Reportagem de Gene Ramos e Robert Gibbons)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.