Tamanho do texto

Os preços dos contratos futuros de petróleo terminaram praticamente estáveis nesta segunda-feira, depois de atingirem a máxima dos últimos 18 meses durante as negociações de hoje, enquanto os sinais de uma recuperação nas economias ao redor do mundo sugerem que o preço do petróleo pode subir ainda mais.O mercado de petróleo ainda estava medindo as implicações do gigantesco vazamento de petróleo no Golfo do México causado por uma explosão na plataforma Deepwater Horizon, da BP.

Os preços dos contratos futuros de petróleo terminaram praticamente estáveis nesta segunda-feira, depois de atingirem a máxima dos últimos 18 meses durante as negociações de hoje, enquanto os sinais de uma recuperação nas economias ao redor do mundo sugerem que o preço do petróleo pode subir ainda mais.

O mercado de petróleo ainda estava medindo as implicações do gigantesco vazamento de petróleo no Golfo do México causado por uma explosão na plataforma Deepwater Horizon, da BP. O efeito foi mais visível nos contratos de petróleo de longo prazo e nos contratos futuros de gasolina e destilados, que subiram graças à chance de que os fornecimentos possam ser interrompidos pelo vazamento.

Os contratos futuros do petróleo leve com vencimento em junho fecharam com alta de US$ 0,04, ou 0,05%, a US$ 86,19 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), recuando levemente após atingir uma nova máxima pós-recessão de US$ 87,15 o barril. Os preços do petróleo subiram depois dos relatórios mostrando aumento na produção dos Estados Unidos e da China.

Os contratos de prazo mais longo e os contratos do petróleo Brent atrelados à oferta de petróleo europeu subiram ainda mais, enquanto os contratos com vencimento mais próximo da Nymex eram puxados para baixo por um excesso de oferta nos Estados Unidos. Os contratos de julho da Nymex fecharam a US$ 89,19 o barril, com um prêmio de US$ 3 por barril sobre os contratos de junho, enquanto os contratos do Brent no mercado futuro da ICE subiram US$ 1,5 (1,7%), para US$ 88,94 o barril.

A China anunciou o 14º mês seguido de expansão no seu setor de produção nesta segunda-feira, enquanto os Estados Unidos também mostraram elevação na produção e na atividade da área de construção. Esses fatores compensaram as notícias de que a China vai elevar o compulsório bancário em 0,5 ponto porcentual, o que causou uma queda temporária nos preços do petróleo nas transações da madrugada. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.