Tamanho do texto

Os preços do petróleo fecharam em queda mais uma vez nesta quarta-feira, apesar do anúncio de sete bancos centrais de uma redução coordenada das taxas de juros, influenciados por uma forte alta dos estoques de cru e gasolina nos Estados Unidos na semana passada.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de West Texas Intermediate (designação do "light sweet crude" negociado nos EUA) para entrega em novembro fechou a 88,95 dólares, em baixa de 1,11 dólar.

Em Londres, o barril do tipo Brent do mar do Norte com o mesmo vencimento perdeu 30 centavos, encerrando cotado a 84,36 dólares.

Os preços chegaram a 81 dólares em Londres e 86,05 dólares em Nova York durante a sessão, níveis que não são registrados desde 15 de outubro de 2007.

O pregão nova-iorquino foi muito volátil, com os preços do cru aumentando ou limitando seus prejuízos de acordo com os altos e baixos de Wall Street, onde continuam as dúvidas sobre os efeitos da redução das taxas de juros, anunciada por sete bancos centrais com o objetivo de enfrentar a crise financeira.

A queda deminuiu perto do fechamento, depois que o mercado financeiro de Nova York se orientou para a alta perto do encerramento do pregão do Nymex.

"Os preços caíram ainda mais sem o anúncio das reduções de taxas, que aumentaram o otimismo sobre as perspectivas da demanda", do petróleo, afirmou Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.

Os preços foram influenciados também pelo relatório semanal do departamento de Energia (DoE), que anunciou altas maiores que o esperado das reservas de cru e gasolina nos Estados Unidos na semana passada e um novo retrocesso da demanda.

gmo/ap