Os contratos futuros do petróleo caíram levemente em Nova York, com os investidores realizando lucros, embora o enfraquecimento do dólar no fim do dia tenha ajudado a commodity a reverter algumas perdas. O contrato do petróleo com vencimento em dezembro recuou 0,22% e fechou a US$ 81,19 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês).

Durante o dia, ele variou entre US$ 79,86 e US$ 81,50. Em Londres, o barril de petróleo tipo Brent recuou 0,23%, a US$ 79,51 o barril. A mínima do dia foi de US$ 78,30 e a máxima, de US$ 79,93.

Os preços do petróleo ficaram sob pressão de baixa durante grande parte da sessão. Após a alta de ontem, quando o barril chegou a US$ 82, alguns participantes do mercado decidiram realizar lucros. Os ganhos do petróleo foram induzidos pela queda nos estoques norte-americanos de gasolina, pela segunda semana seguida, bem como pelo enfraquecimento do dólar frente ao euro, para a mínima em 14 meses. "Nós assistimos à realização de lucros, sem muitas notícias novas no caminho", disse Jim Ritterbusch, da Ritterbusch and Associated em Galena, Illinois.

Um fortalecimento do dólar frente ao euro pesou sobre os preços durante grande parte do dia, na medida em que isso torna o petróleo mais caro para compradores que têm outras moedas. Os preços chegaram a ser negociados brevemente abaixo de US$ 80 o barril, mas voltaram a subir perto do fim do pregão, quando o dólar voltou a cair em direção às suas recentes mínimas. "A força propulsora do preço do petróleo ainda é o dólar e uma fraqueza adicional na moeda americana nos ajudará a ver preços mais altos", disse Ritterbusch.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) deu um primeiro sinal de que poderá aumentar a produção em dezembro. O secretário-geral da Opep, Abdalla Salem El-Badri, disse hoje que a decisão de incrementar a produção virá apenas "se nós observarmos que os estoques recuam ao nível normal, se observarmos que existe crescimento econômico verdadeiro".

Os comentários de El-Badri, no entanto, tiveram pouco impacto na direção do mercado. "O mercado não pôde prestar atenção porque o comunicado é cheio de 'se'", disse Tim Evans, um analista na Citi Futures Perspective em Nova York. Ele notou que, mesmo sem uma mudança política, a Opep tem aumentado a produção neste ano. Atualmente, a organização produz 1,5 milhão de barris por dia acima da sua cota. "O mercado tem sido feliz em se mover para a alta, apesar desse aumento na produção", disse Evans. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.