Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve alta na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), depois de devolverem boa parte do ganho de US$ 2,00 por barril de mais cedo, pressionados pelas renovadas preocupações sobre a fraqueza da economia dos EUA e seu impacto sobre a demanda, segundo operadores e analistas. Na Nymex, os contratos de petróleo para março subiram US$ 0,24, ou 0,58, e fecharam a US$ 41,68 por barril.

Incluindo as transações do sistema eletrônico Globex, a mínima foi de US$ 41,02 e a máxima, de US$ 43,44.

O petróleo atingiu as máximas do dia em reação ao dado do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, que sugeriu que a economia americana não se contraiu tanto quanto se esperava no último trimestre de 2008. Contudo, uma avaliação mais detalhada do relatório esfriou os ânimos e os preços caíram.

O Departamento do Comércio informou que a economia dos EUA encolheu 3,8% no quarto trimestre, contra uma expectativa dos analistas de queda de 5,5%. Contudo, mesmo melhor que o esperado, o recuo do PIB foi o maior em 26 anos da economia dos EUA e, considerando a queda de 0,5% do terceiro trimestre, esta foi a primeira vez desde 1990-91 que os EUA registraram dois trimestres seguidos de PIB em baixa.

James Knightley, economista do ING Bank, alertou que o relatório do PIB mostrou "uma construção de estoque involuntária" e que a "produção não está sendo reduzida rápido o suficiente para enfrentar a queda vertiginosa na demanda". Isso cria um grande risco de que a atividade econômica será reduzida em 2009 para reduzir gradualmente os estoques, aumentando o desemprego, disse.

Tom Bentz, analista e corretor do BNP Paribas, disse que as notícias de uma acentuada revisão na demanda por petróleo nos EUA também ajudaram a reverter os ganhos iniciais. O Departamento de Energia dos EUA (DoE) informou que houve uma acentuada queda na demanda por petróleo em novembro, que marcou o 16º mês consecutivo de declínio anual.

A demanda dos EUA - maior consumidor de petróleo do mundo - caiu 7,7%, ou 1,577 milhão de barris diários em novembro, para 18,958 milhões de barris por dia - a mais fraca em um mês desde 1998. Nos primeiros 11 meses de 2008, a demanda dos EUA por petróleo caiu 6%, ou 1,25 milhão de barris, para 19,435 milhões de barris/dia, a menor para o período desde 1999 e a maior queda desde 1980.

Na ICE Futures, em Londres, os contratos de petróleo Brent para março fecharam a US$ 45,88 por barril, em alta de US$ 0,48, ou 1,06%. A mínima foi de US$ 45,10 e a máxima de US$ 47,75. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.