SÃO PAULO - O barril do petróleo fechou em baixa novamente nesta quinta-feira e atingiu o menor nível em cinco meses. O comportamento foi explicado, segundo agentes do setor, pela valorização do dólar em relação ao euro e também pelo relatório semanal de estoques, que mostrou uma redução mais suave do que o esperado para as reservas de gasolina. A retomada da produção no Golfo do México após a passagem do furacão Gustav, também sustentou a desvalorização.

O contrato de WTI negociado para o próximo mês em Nova York fechou a US$ 107,89, com baixa de US$ 1,46. O vencimento de novembro caiu US$ 1,43, para US$ 108,44. Em Londres, o barril de Brent para outubro apontou queda de US$ 1,76, para US$ 106,30. O vencimento para o mês seguinte encerrou cotado a US$ 107,76, com recuo de US$ 1,67.

O departamento de energia dos EUA divulgou apenas hoje o levantamento semanal, devido ao feriado do Dia do Trabalho, na segunda-feira. O relatório com o consumo até o dia 29 de agosto apontou uma queda de 1 milhão de barris nos estoques de gasolina, ante previsão de baixa de 3 milhões.

O relatório também mostrou um avanço no uso da capacidade instalada das refinarias, de 87,3% para 88,7% no confronto semanal. A avaliação é que muitas unidades anteciparam a produção por conta da passagem do furacão Gustav. Os agentes avaliam que os efeitos do furacão, com a diminuição da atividade nos dias de maior cautela, serão sentidos na próxima semana.

Leia mais sobre petróleo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.