Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em queda hoje, após dados do Departamento de Energia dos EUA (DOE) mostrarem um aumento acima do previsto tanto nos estoques da commodity quanto nos estoques de gasolina do país, alimentando preocupações com a demanda. O contrato do petróleo com vencimento em janeiro negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) caiu US$ 1,77, ou 2,26%, para US$ 76,60 por barril.

O contrato oscilou em um intervalo de US$ 76,22 a US$ 78,59 por barril na sessão. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent com vencimento em janeiro recuou US$ 1,47, ou 1,85%, para US$ 78,88 por barril.

Segundo o DOE, os estoques norte-americanos de petróleo cresceram 2,091 milhões de barris na semana encerrada em 27 de novembro, para o maior nível já registrado nos últimos três meses, de aproximadamente 340 milhões de barris. Analistas esperavam um ganho de 800 mil barris. Os estoques de gasolina aumentaram 3,996 milhões de barris - quase seis vezes mais que o previsto -, em meio a um declínio de 1,63% na demanda. Os estoques de destilados caíram 1,17 milhão de barris, ante previsão de queda de 300 mil barris.

A demanda por petróleo nas quatro semanas encerradas em 27 de novembro foi de, em média, 18,491 milhões de barris por dia - o menor nível desde 10 de julho, segundo o DOE. Para Michael Wittner, diretor de pesquisas mundiais de petróleo do Société Générale em Londres, os preços da commodity devem continuar oscilando entre US$ 75 e US$ 82 por barril. Ele recomenda, no entanto, a compra de contratos nos momentos de queda dos preços por considerar que há um forte suporte perto de US$ 75 por barril.

Para Tom Bentz, analista e operador do BNP Paribas, "o mercado teve problemas para sustentar níveis perto de US$ 80 e acima disso", disse Bentz. Ele acrescentou que os estoques de petróleo em Cushing - o ponto de entrega física da Nymex para os contratos de petróleo WTI e similares - cresceram 1,4 milhões de barris na semana passada, ficando 35,2% acima dos níveis registrados em igual período do ano passado.

"Isso está trazendo fraqueza para os contratos de vencimento mais próximo", afirmou, referindo-se ao contrato janeiro do petróleo na Nymex. Além disso, segundo dados do DOE, as refinarias norte-americanas reduziram o processamento da commodity para 13,86 milhões de barris por dia nas últimas quatro semanas, queda de 5,1% em relação a igual intervalo do ano passado. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.