Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo fecha em baixa com novo aumento de estoques

Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa, pressionados pelo cenário de fraca demanda que foi reforçado pelo aumento dos estoques comerciais norte-americanos para a máxima em 16 anos, segundo operadores e analistas. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos de petróleo para março caíram US$ 1,61, ou 4,29%, e fecharam a US$ 35,94 por barril.

Agência Estado |

Incluindo as transações do sistema eletrônico Globex, a mínima foi de US$ 35,71 e a máxima, de US$ 38,47. Na ICE Futures, em Londres, os contratos de petróleo Brent para março fecharam a US$ 44,28 por barril, em baixa de US$ 0,33, ou 0,74%. A mínima foi de US$ 43,93 e a máxima, de US$ 45,68.

Os estoques de petróleo nos EUA vem subindo rapidamente nas últimas semanas, aumentando em mais 4,7 milhões de barris na semana passada, de acordo com o Departamento de Energia (DoE). Um ganho similar na próxima semana vai levar os estoques para seu nível mais alto desde 1993, indicando que o superávit na oferta continua prevalecendo, enquanto a demanda está enfraquecida pelo declínio econômico global.

Os estoques em Cushing (Oklahoma), ponto de entrega física dos contratos de petróleo na Nymex, também subiram para nível recorde pela sexta semana seguida. Com pouco espaço de estocagem sobrando, os operadores estão vendendo o contrato de petróleo para março para evitar ter de fazer a entrega do produto em Cushing. O desconto do contrato de petróleo de março para o de abril subiu para US$ 6,53 por barril, o quarto maior já registrado.

Apenas os futuros de gasolina têm desafiado a tendência de baixa do setor de energia, com os contratos acumulando uma alta de 26% desde o início do ano. Os estoques de gasolina escorregaram para abaixo da média em 5 anos pela primeira vez no ano, elevando as preocupações sobre a oferta apertada antes do pico da demanda da temporada de férias de verão. O estoques de gasolina caíram em 2,7 milhões de barris na semana passada, contrariando uma expectativa de aumento de 400 mil barris.

Contudo, analistas alertaram que os ganhos da gasolina podem se mostrar passageiros. "Realmente, temos de comparar com o que está acontecendo na economia mais ampla", disse Brian Milne, analista da DTN. "Se (a economia dos EUA) continuar a perder empregos, a demanda por gasolina vai patinar", acrescentou. Na Nymex, os contratos de gasolina para março subiram US$ 0,0259, ou 2,08%, e fecharam a US$ 1,2698 por galão. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG