Os preços do petróleo subiram hoje, impulsionados pela alta do óleo para calefação, em movimento relacionado com a previsão de temperaturas mais frias na região nordeste dos EUA, segundo operadores e analistas. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos futuros de petróleo para março subiram US$ 2,80, ou 6,41%, e fecharam a US$ 46,47 por barril - nível mais alto de fechamento desde o último dia 6.

Incluindo as transações do sistema eletrônico Globex, a mínima foi de US$ 41,40 e a máxima, de US$ 46,99.

Os contratos de óleo para calefação para fevereiro subiram US$ 0,102, ou 7,56%, e fecharam a US$ 1,4510 por galão na Nymex. Antes, os futuros de óleo para calefação chegaram a acumular uma queda de 9,3% nas quatro sessões anteriores, com o preço caindo para o nível mais baixo desde 30 de dezembro na quinta-feira.

Operadores disseram que as previsões para um retorno das temperaturas abaixo do normal na região nordeste desencadearam estimativas de maior demanda por combustíveis pelas geradoras de energia regional. Sob tais circunstâncias, os usuários comerciais de gás natural podem ter sua oferta interrompida, pois o gás pode ser desviado para usos não comerciais. Os usuários comerciais então precisarão trocar o combustível para óleo de calefação para preencherem suas necessidades.

Apesar do forte fechamento, alguns operadores duvidam que o mercado possa sustentar um piso nos US$ 40 por barril e eles estimam que os preços vão testar as mínimas dos últimos cinco anos, perto de US$ 32 por barril, que foram registradas nos dois últimos vencimentos dos contratos de primeiro mês de vencimento - 19 de dezembro e 20 de janeiro.

Na ICE Futures, em Londres, os contratos de petróleo Brent para março fecharam a US$ 48,37 por barril, em alta de US$ 2,98, ou 6,57%. A mínima foi de US$ 43,90 e a máxima de US$ 48,61. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.