Os contratos futuros do petróleo terminaram em alta, com investidores apostando que os preços atingiram um piso. A perspectiva de aumento nos estoques norte-americanos do produto, no entanto, limitou os ganhos, de acordo com operadores.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato para entrega do petróleo em março subiu US$ 2,71, ou 6,64%, para US$ 43,55 o barril. O contrato para fevereiro venceu ontem a um preço de US$ 38,74 o barril. Em Londres, o contrato do petróleo tipo Brent avançou US$ 1,40, ou 3,20%, para US$ 45,02 o barril.

Os preços do petróleo subiram mais de 20% desde 15 de janeiro, em meio às dúvidas no mercado sobre se o desaquecimento na demanda era suficiente para arrastar os preços para perto das mínimas em cinco anos.

O rali de hoje diminuiu a diferença de preços entre o primeiro e o segundo contrato da Nymex para US$ 2, de mais de US$ 8 na semana passada. A diferença de preços entre os contratos geralmente indica a disponibilidade de petróleo. Um desconto profundo no contrato de vencimento mais próximo significa uma oferta abundante da commodity (matéria-prima).

"As diferenças estão diminuindo. Isto não é incomum em um mercado que está prestes a se recuperar", disse Mark Waggoner, presidente da Excel Futures.

Os cortes de produção anunciados pela Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) também dão suporte aos preços. Além disso, outros campos que não são controlados por integrantes do cartel passam por uma redução natural na produção. No entanto, até agora a oferta caiu a um ritmo menor do que a demanda, provocando um aumento vigoroso nos estoques. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.