Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo fecha em alta com nova tempestade e Opep

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), com ajuda das notícias sobre a formação de uma nova tempestade tropical no Caribe e especulações sobre a produção futura de membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em um dia marcado pelo baixo volume negociado. Na Nymex, os contratos de petróleo com entrega em outubro subiram US$ 0,52, ou 0,45%, e fecharam a US$ 115,11 por barril.

Agência Estado |

Incluindo as transações do sistema eletrônico Globex, a mínima foi de US$ 113,68 e a máxima de US$ 116,06.

Depois de subir mais de US$ 5,00 por barril na quinta-feira e, então, despencar mais de US$ 6,00 na sexta-feira, o petróleo deixou os operadores na expectativa da próxima direção dos preços. Com muitos participantes ausentes, de férias antes do feriado do Dia do Trabalho nos EUA e Reino Unido na próxima segunda-feira, a atividade foi fraca. "Depois da polarização da quinta e sexta-feira da semana passada, eu penso que o mercado estava um pouco exausto", disse Gene McGillian, corretor da Tradition Energy.

À incerteza sobre a oferta futura se somou a notícia de que uma depressão tropical se fortaleceu para uma tempestade tropical no Caribe, recebendo o nome de Gustav, segundo o Centro Nacional de Furacão dos EUA (NHC, na sigla em inglês). Gustav apresenta ventos máximos de 96 km/h e está próximo da ilha de Hispaniola. Operadores disseram que estavam ansiosos para ver se a tempestade vai se dirigir para a região crítica de infra-estrutura de energia da Costa do Golfo dos EUA. Esta semana marca o terceiro aniversário da devastação provocada pelo furacão Katrina na Costa do Golfo do México, que ajudou a empurrar os preços para acima de US$ 70,00 por barril pela primeira vez.

Conforme se aproxima a data do próximo encontro ministerial da Opep, marcado para 9 de setembro, em Viena, também crescem as especulações sobre um possível corte na produção, uma vez que os preços recuaram das recentes máximas acima de US$ 145,00 por barril. Um recente relatório da Opep disse que o grupo produziu 32,6 milhões de barris/dia em julho, 235 mil barris/dia a mais do que no mês anterior. "A tendência dos preços do petróleo está sendo monitorada e a questão de excesso de oferta no mercado e controle do preço estarão entre as principais discussões no próximo encontro da Opep", disse o ministro de petróleo do Irã, Gholam Hossein Nozari, segundo o site do ministério na internet. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG