Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo fecha em alta com corte de produção

Os futuros do petróleo bruto terminaram em alta, impulsionados pela notícia de que os Emirados Árabes diminuirão as exportações da matéria-prima (commodity) em fevereiro em até 15%, contribuindo para a perspectiva de diminuição da oferta em 2009. O volume de negociações da sessão de hoje foi um dos mais baixos do ano.

Agência Estado |

O contrato do petróleo para fevereiro negociado na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex) subiu US$ 2,36, ou 6,68%, para US$ 37,71 o barril. Em Londres, o petróleo tipo Brent com entrega prevista para fevereiro avançou US$ 1,76, ou 4,8%, para US$ 38,37 o barril.

Refinarias asiáticas disseram que os Emirados Árabes foram o primeiro fornecedor a diminuir oficialmente as exportações desde que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) definiu um corte de 2,2 milhões de barris por dia na produção em 17 de dezembro. O país é integrante do cartel e possui a terceira maior produção entre os membros do grupo.

Segundo Tom Bentz, analista do BNP Paribas em Nova York, "todos tinham um ponto de vista muito cético sobre o corte da Opep porque até agora eles não haviam efetivamente cumprido a decisão, mas com os preços perto de US$ 35 o barril, há muito mais incentivo". Ele acrescentou que "há potencial para uma surpresa dentro de um mês ou dois".

A redução no fornecimento de petróleo pela Opep é vista como um dos ingredientes para incentivar os preços da commodity. O reaquecimento na demanda seria outro fator importante para uma recuperação, mas é visto como uma possibilidade mais remota devido ao cenário de desaquecimento da economia mundial.

O Goldman Sachs, o Deutsche Bank e outros grandes bancos estimam que os preços devem cair para abaixo dos níveis atuais no primeiro trimestre de 2009 e podem atingir média de US$ 50 o barril durante o ano. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG