Os contratos futuros de petróleo fecharam nos menores preços em três anos e meio com os investidores cada vez mais preocupados com os rumos da economia mundial, que também pressiona fortemente os mercados de ações. O vencimento hoje do contrato de dezembro contribuiu para deixar o mercado mais volátil, mas poucos esperam que os preços interrompam sua trajetória de queda.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos futuros de petróleo com entrega do produto em dezembro fecharam com queda de US$ 4,00, ou 7,46%, a US$ 49,62 por barril, fechamento mais baixo desde 23 de maio de 2005. O contrato de janeiro, que passa a ser o primeiro vencimento a partir de amanhã, fechou com queda de US$ 4,68, ou 8,65%, a US$ 49,42 o barril. No sistema eletrônico ICE Futures, em Londres, o contrato para janeiro fechou com queda de US$ 3,64 a US$ 48,08 por barril, fechamento mais baixo desde 20 de maio de 2005.

As cotações de petróleo acompanharam as ações, que também caíram forte na Europa e nos Estados Unidos diante de novos dados econômicos negativos. Os pedidos de auxílio-desemprego atingiram o maior nível em 16 anos nos EUA, enquanto na Europa montadoras anunciaram demissões. O mercado de petróleo continuará seguindo o de ações, disse Brad Samples, analista da Summit Energy.

E a retração econômica chegou aos mercados emergentes, cuja demanda foi em grande parte responsável pelo rali do petróleo para perto dos US$ 150 por barril. Analistas do Goldman Sachs disseram que na Ásia a demanda caiu a uma taxa "inesperada e sem precedentes". Se o consumo se estabilizar, os preços do petróleo podem oscilar em torno dos US$ 50 por barril na maior parte de 2009. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.