Tamanho do texto

Por Rebekah Kebede NOVA YORK (Reuters) - Os futuros do petróleo nos EUA encerraram em leve alta nesta quarta-feira, após dados do governo norte-americano mostrarem uma redução nos estoques de gasolina e outros derivados.

Também houve influência positiva nos preços das informações de que a Opep planeja concluir por completo até o final do mês o plano de cortes na produção definido recentemente.

Os futuros fecharam em 42,16 dólares o barril, com alta de 58 centavos de dólar por barril, após terem caído cerca de 9 por cento na véspera.

Os futuros do petróleo tipo Brent, em Londres, subiram 1,17 dólar, para 44,90 dólares por barril.

Os dados do governo dos EUA nesta quarta mostraram que as reservas de gasolina caíram 100 mil barris, para 219,9 milhões, contra estimativa de 1,6 milhão de barris de alta.

Os estoques de derivados recuaram 1 milhão de barris, ante expectativa de queda de 700 mil, para 144 milhões de barris.

No entanto, os estoques de petróleo tiveram um forte aumento de 6,2 milhões de barris, para 338,9 milhões de barris, ante uma expectativa do mercado de alta de 2,9 milhões de barris.

Uma onda de frio no noroeste dos EUA elevou a demanda por óleo de aquecimento.

"Parece que está ocorrendo uma estabilização em todo o complexo agora", disse Tom Bentz, analista sênior de commodities do BNP Paribas Commodity Futures, Inc, em Nova York.

Phil Flynn, analista da Alaron Trading, em Chicago, preferiu ressaltar o aumento nos estoques de petróleo.

"Outra avalanche de óleo cru. Estamos ficando inundados de petróleo."

O secretário geral da Opep (Organização dos Países Produtores e Exportadores de Petróleo), Abdullah al-Badri, afirmou em Davos que mesmo um preço de 50 dólares o barril seria insuficiente para estimular investimentos no setor, o que poderia levar a queda na oferta no futuro.

Al-Badri afirmou que a entidade implementaria em sua totalidade o plano de cortar 4,2 milhões de barris diários de sua produção, com base nos níveis de setembro do ano passado.