Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petróleo em NY renova recorde a US$ 145,98 o barril

Os contratos futuros do petróleo, negociados no mercado internacional, operam em alta na manhã de hoje, dando seqüência aos ganhos registrados ontem, quando a matéria-prima (commodity) subiu cerca de 4%, tanto em Londres quanto em Nova York. Após cair para a casa de US$ 136,00 o barril na última terça-feira (dia 8), sinalizando uma trégua na alta dos preços, a commodity renovou a máxima histórica hoje, durante a sessão eletrônica em Nova York, aproximando-se do nível de US$ 146,00 o barril.

Agência Estado |

Por volta das 8h30 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em agosto subia 2,48% a US$ 145,18 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), após subir a US$ 145,98 o barril, nova máxima histórica. No mesmo horário, na Bolsa Intercontinental (ICE), em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento ganhava 2,58%, a US$ 145,72 o barril.

A alta do petróleo está atribuída às preocupações com a oferta no Brasil, diante da ameaça de greve de petroleiros, e na Nigéria, com a suspensão do cessar-fogo por um grupo rebelde no delta do Níger. A notícia sobre um possível treino de aviões israelenses para um possível ataque ao Irã também impulsiona os preços.

Ontem, operadores citavam o fim de um cessar-fogo na região do delta do Níger, na Nigéria, e os testes com mísseis realizados pelo Irã na segunda-feira como os motivos para o fechamento em alta do petróleo.

O site da agência de notícias Bloomberg diz que um dos motivos para a alta do petróleo é a ameaça de greve de trabalhadores da indústria de petróleo no Brasil. Segundo matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo, o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense marcou para a próxima terça-feira (dia 15) o início de uma greve de cinco dias.

Ouro

A disparada do petróleo puxa a alta dos preços do ouro à vista no mercado internacional, que atravessou a importante resistência de US$ 950,00 a onça-troy (equivalente a 31 gramas) e já opera no patamar de US$ 951,00 a onça-troy. As informações são de agências internacionais.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG