Nova York, 18 jul (EFE).- Os contratos de futuros do Petróleo Intermediário do Texas (WTI , leve) caíram hoje na Bolsa Mercantil de Nova York pelo quarto dia consecutivo, e fecharam a US$ 128,88 por barril (159 litros), o que representa uma baixa de 0,31%, ou US$ 0,41 em relação ao pregão anterior.

Com a baixa de hoje, o cru já acumula uma queda de mais de US$ 18 (12,48%) desde a segunda-feira passada, quando chegou a ser negociado a US$ 147,27, o preço mais alto por esse tipo de contrato de futuros desde que começou sua negociação, há 25 anos.

O preço do fechamento de hoje do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) (WTI), de referência nos Estados Unidos, é o mais baixo das últimas seis semanas.

Nem sequer a interrupção esta semana do fornecimento de uma refinaria na Nigéria, com uma produção de aproximadamente 47 mil barris diários, conseguiu deter a queda, embora durante as primeiras horas da sessão de hoje o barril da commodity tenha sofrido ligeiras altas, para ser negociada a US$ 130,8.

Os analistas indicam que as baixas - que acontecem apesar de o dólar estar em seu mínimo históricos em relação ao euro - respondem ao temor dos investidores de que o esfriamento econômico derrube a demanda de petróleo.

A tendência de baixa se viu reforçada pelo anúncio na quarta-feira de um aumento das reservas americanas de petróleo em três milhões de barris durante a semana passada, número que surpreendeu os analistas, que previam uma queda de 1,6 milhão.

Os contratos de futuros da gasolina com vencimento em agosto subiram US$ 0,01, e fecharam a US$ 3,17 por galão (3,78 litros), enquanto os de gasóleo de calefação ganharam US$ 0,04, aos US$ 3,69 por galão.

Os contratos de gás natural com vencimento nesse mesmo mês caíram para US$ 10,57 por cada mil pés cúbicos, e já acumulam uma baixa próxima aos 28% desde que alcançaram seu recorde histórico há duas semanas. EFE mgl/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.