Os preços futuros do petróleo encerraram em queda, depois de atingirem o menor preço durante o pregão em cinco meses, pressionados pelas perspectivas de enfraquecimento na demanda nos EUA e na Europa e pela valorização do dólar ante o euro. A chegada do furacão Ike ao Golfo do México evitou um declínio mais acentuado.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), os contratos de petróleo com vencimento em outubro caíram US$ 1,71, ou 1,67%, para US$ 100,87 o barril. Incluindo as transações eletrônicas do sistema Globex, a mínima foi de US$ 100,10 e a máxima foi de US$ 103,95.

Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para outubro encerraram em baixa de US$ 1,33, ou 1,34%, para US$ 97,94 o barril.

A mínima registrada durante a sessão da Nymex foi 32% inferior ao recorde atingido em meados de julho e também o valor mais próximo de um preço de dois dígitos para os futuros do petróleo desde o início de abril.

Operadores entraram num "cabo de guerra" sobre o preço de US$ 100 o barril, importante barreira psicológica para o mercado, nesta quarta-feira. Até agora, aqueles que acreditam que este valor deve marcar um piso para o mercado estão ganhando, de acordo com Matt Zeman, diretor de negociações do LaSalle Futures Group em Chicago. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.