SÃO PAULO - Os contratos futuros de petróleo tiveram um novo pregão de queda nesta terça-feira e fecharam negociados abaixo de US$ 110. Os negócios ainda tiveram como pano de fundo o enfraquecimento do furacão Gustav, o que afastou o perigo de prejuízos para instalações de petroleiras na região do Golfo do México. O recuo foi maior em Nova York, já que não houve negócios no pregão viva-voz ontem por conta do feriado do Dia do Trabalho nos EUA.

O barril de WTI com entrega em outubro negociado na Nymex fechou com desvalorização de US$ 5,75, a US$ 109,71. O contrato para novembro encerrou com baixa de US$ 5,55, a US$ 110,30. Em Londres, o barril de Brent para o próximo mês fechou cotado a US$ 108,34, com queda de US$ 1,07. O vencimento para novembro declinou US$ 0,98, para US$ 109,83.

A redução do preço da commodity só não foi maior porque ainda existem três tempestades tropicais em formação na região do Caribe, o que mantém os investidores cautelosos. Durante o dia, os contratos de WTI chegaram a ser transacionados a US$ 105 por barril.

Outro componente que influenciou a queda do petróleo foi a alta do dólar no mercado internacional, reforçando uma correlação negativa que têm se mostrado bastante intensa desde o começo do ano. A apreciação da moeda norte-americana vem ocorrendo nas últimas semanas por conta da percepção de um enfraquecimento econômico na Europa e no Japão, ao passo que a desaceleração econômica nos EUA pode não ser tão pronunciada.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.