Tamanho do texto

Os contratos futuros do petróleo operam em baixa superior a 6%, tanto em Londres quanto em Nova York, após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) ter encerrado a reunião de emergência de sábado (dia 29), no Cairo, sem anunciar qualquer corte na produção. O desaquecimento econômico e a demanda fraca também contribuem para pressionar os preços da matéria-prima (commodity), assim como a queda nas bolsas européias.

Às 12h05 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em janeiro caía 6,49%, para US$ 50,90 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento recuava 6,13%, para US$ 50,21 o barril.

Neste fim de semana, a Opep optou por esperar até a próxima reunião do cartel, marcada para dia 17 de dezembro, na Argélia, para decidir sobre as políticas de produção de petróleo. Apesar de ter reduzido a produção em 2 milhões de barris por dia desde setembro, o grupo ainda não conseguiu impedir a queda nos preços.

Hoje pela manhã, o secretário-geral da Opep, Abdalla Salem el-Badri, disse que o grupo diminuirá "razoavelmente" a produção em dezembro. "Não podemos dizer de quanto será o corte em dezembro, mas com certeza tomaremos uma atitude, porque estamos vendo um grande volume de estoques". As informações são da Dow Jones.