Os contratos futuros do petróleo operam em baixa superior a 6%, tanto em Londres quanto em Nova York, após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) ter encerrado a reunião de emergência de sábado (dia 29), no Cairo, sem anunciar qualquer corte na produção. O desaquecimento econômico e a demanda fraca também contribuem para pressionar os preços da matéria-prima (commodity), assim como a queda nas bolsas européias.

Às 12h05 (de Brasília), o contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em janeiro caía 6,49%, para US$ 50,90 o barril, na sessão eletrônica da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com mesmo vencimento recuava 6,13%, para US$ 50,21 o barril.

Neste fim de semana, a Opep optou por esperar até a próxima reunião do cartel, marcada para dia 17 de dezembro, na Argélia, para decidir sobre as políticas de produção de petróleo. Apesar de ter reduzido a produção em 2 milhões de barris por dia desde setembro, o grupo ainda não conseguiu impedir a queda nos preços.

Hoje pela manhã, o secretário-geral da Opep, Abdalla Salem el-Badri, disse que o grupo diminuirá "razoavelmente" a produção em dezembro. "Não podemos dizer de quanto será o corte em dezembro, mas com certeza tomaremos uma atitude, porque estamos vendo um grande volume de estoques". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.