Os preços do petróleo recuaram nesta terça-feira em Nova York e em Londres, no momento em que a tormenta tropical Ida perde força na costa sul dos Estados Unidos, sem ameaçar as instalações petroleiras da região.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do West Texas Intermediate ("light sweet crude") para entrega em dezembro fechou a 79,05 dólares, em queda de 38 centavos em relação ao fechamento da véspera.

No InterContinentalExchange de Londres, o barril do Brent do Mar do Norte com igual vencimento cedeu 27 centavos, a 77,50 dólares.

Os preços do petróleo caíram com o enfraquecimento de Ida, que passou de furacão à tormenta tropical na segunda-feira, sem ameaçar seriamente as instalações que processam a quarta parte da produção petroleira americana.

"Os operadores não esperam mais que nesta temporada os furacões causem danos importantes", explicou Ellis Eckland, analista independente.

O mercado também foi pressionado pela recuperação parcial do dólar, e não aproveitou a resistência mostrada pelas Bolsas.

"O mercado caiu de forma desproporcional, mesmo tendo em conta a passagem da tormenta. Ontem, o petróleo não subiu tanto diante da queda do dólar e do vigor das Bolsas", disse Ellis Eckland, apesar da alta de 2 dólares no barril.

Segundo o analista, "parece que muita gente está preocupada com a taxa de desemprego na América do Norte".

A alta da taxa de desemprego, que superou 10% nos Estados Unidos, segundo relatório mensal do departamento de Trabalho, afetou claramente o mercado petroleiro.

Deste modo, o mercado não aproveitou hoje o relatório da Agência de Energia (EIA) que revisou levemente para cima suas previsões de demanda mundial de petróleo para 2009 e 2010 diante do crescimento da China e do restante da Ásia.

A EIA também elevou suas estimativas de preços, a 77 dólares em média para o inverno boreal (outubro a março), 7 dólares acima das previsões anteriores, e a 81 dólares o barril até dezembro de 2010 (+6 dólares).

mla/LR/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.