Os preços do petróleo caíram novamente nesta quarta-feira, atingindo o nível mais baixo dos últimos 20 meses, na véspera da publicação do relatório mensal da AIE que deve confirmar a deterioração da demanda pelo ouro negro.

No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril de 'light sweet' para entrega em dezembro fechou em 56,16 dólares, perdendo 3,17 dólares em relação ao fechamento de terça-feira.

Em Londres, o barril de Brent do Mar do Norte perdeu 3,34 dólares, fechando em 52,37 dólares.

Os preços do barril caíram para 55,83 dólares em Nova York e 52,05 dólares em Londres durante as sessões desta quarta-feira, seus níveis mais baixos desde, respectivamente, março e janeiro de 2007.

"Hoje, mais uma vez, são fortes os temores sobre a economia mundial e a demanda de petróleo", declarou Bart Melek, da BMO Capital Markets.

O mercado teme, principalmente, que a desaceleração brutal da economia mundial acabe se refletindo nas previsões de demanda da Agência Internacional da Energia (AIE), que publicará quinta-feira seu relatório de novembro.

Para Fatih Birol, economista da AIE, a demanda de petróleo "atingiu um pico" nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), abalados pela crise financeira.

"A AIE deu a entender que reduzirá suas previsões sobre a demanda de petróleo para o ano que vem", constatou Melek.

Na opinião do analista, o mercado está diante de um desequilíbrio entre a oferta, que permanece importante, e a demanda.

"O mercado ignorou o plano de recuperação chinês e as discussões sobre uma nova redução da produção da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo). Trata-se de um mercado que está caminhando para uma mudança histórica. Vai demorar um tempo para que os preços se estabilizem", analisou, por sua vez, Phil Flynn, da Alaron Trading.

mla/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.