Os contratos futuros de petróleo fecharam no nível mais baixo em 13 meses na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), pressionados pela crescente ameaça à demanda global da matéria-prima em razão da crise financeira mundial. Na Nymex, os contratos futuros de petróleo com entrega do produto em novembro recuaram US$ 8,89, ou 10,27%, encerrando a US$ 77,70 por barril, o valor mais baixo desde 10 de setembro de 2007.

No pregão eletrônico, após o fechamento, o contrato para novembro subiu para até US$ 85,13 o barril, com a recuperação das ações nos mercados norte-americanos após as fortes quedas no começo do dia.

No sistema eletrônico da ICE Futures, em Londres, os contratos de petróleo Brent para novembro fecharam a US$ 74,09, em baixa de US$ 8,57, ou 10,37%. A mínima foi de US$ 73,14 e a máxima, de US$ 80,55.

Os preços do petróleo recuaram juntamente com os de outras commodities (matérias-primas), como cobre e milho, bem como o índice acionário Dow Jones, que passou a maior parte do dia em forte queda antes de recuperar-se e encerrar o dia em baixa de 1,5%. As turbulências no setor financeiro resultaram no congelamento do mercado de crédito, fazendo com que empresas da maior economia do mundo ficassem sem recursos e ameaçando o crescimento econômico mundial.

A questão no mercado de petróleo é o quanto a demanda pelo produto será atingida na medida em que a desaceleração econômica se espalha pelo mundo. A Agência Internacional de Energia (AIE) cortou hoje sua previsão de crescimento da demanda para 2009 em quase 40%, para um aumento de 700 mil barris por dia.

Os preços dos contratos futuros do petróleo bruto e seus derivados dificilmente atingirão seu piso até que as economias desenvolvidas do mundo se estabilizem e que o padrão de crescimento futuro da China se torne claro, dizem analistas.

Representantes do G-7, o grupo das sete maiores economias do mundo, estão reunidos em Washington numa tentativa de encontrar um solução comum para a crise financeira. Um comunicado é esperado ainda hoje, mas não será suficiente para trazer confiança para compras no mercado de petróleo, disse Addison Armstrong, analista da Tradition Energy.

"Não há razão para comprar, há muitas incertezas sobre o que pode acontecer no final de semana", disse ele. "O problema é que o risco de baixa é muito maior do que a recompensa de alta".

Na Nymex, os contratos de gasolina reformulada (RBOB) para novembro caíram US$ 0,2203, ou 10,87%, e fecharam a US$ 1,8070 o galão, o preço mais baixo desde fevereiro de 2007. O contrato de óleo para calefação para novembro caiu US$ 0,2086, ou 8,62%, para US$ 2,2100 o galão, o preço mais baixo em 12 meses. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.