Tamanho do texto

Os contratos futuros do petróleo encerraram em alta, porém abaixo dos US$ 50 o barril, impulsionados pelo avanço no mercado de ações e pela desvalorização do dólar ante o euro. A expectativa de aumento nos estoques norte-americanos do produto limitou os ganhos, assim como o ajuste de posições no mercado devido ao encerramento tanto do mês quanto do trimestre.

O contrato do petróleo para maio negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês) subiu US$ 1,49, ou 3,08%, para US$ 49,90 o barril. Em Londres, o contrato do petróleo tipo Brent para maio avançou US$ 1,24, para US$ 49,23 o barril.

"Foi uma resposta débil aos movimentos do mercado de ações e do dólar, mas todos estão ajustando posições e há muitos comentários a respeito de um aumento significativo nos estoques de petróleo dos EUA", disse Jim Ritterbusch, presidente da consultoria Ritterbusch & Associates. "Isso limitou o rali de hoje."

De acordo com analistas, o Departamento de Energia dos EUA (DOE) deve divulgar amanhã em seu relatório um aumento de 2,5 milhões de barris nos estoques de petróleo na semana passada. As reservas comerciais do produto já estão no maior nível em 16 anos.

Eles acrescentaram que o relatório também deve revelar um declínio de 1,2 milhão de barris nos estoques de gasolina e uma queda de 600 mil barris nos estoques de destilados - categoria que inclui o óleo diesel.

Outro fator de pressão sobre os preços é o contexto de demanda fraca pelo petróleo e a perspectiva de um consumo mais baixo de combustíveis durante o verão nos EUA. Mais cedo, um relatório semestral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) estimou que a economia norte-americana deve sofrer contração de 4% neste ano.

Na última semana, os participantes do mercado investiram em commodities (matérias-primas) como o petróleo na tentativa de se protegerem contra a inflação. A desvalorização do dólar acentuou este movimento e deu suporte a um rali nos preços. No entanto, o potencial corte na taxa básica de juro da zona do euro pelo Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira pode contribuir para fortalecer o dólar ante o euro e enfraquecer os preços do petróleo, segundo analistas. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.