SÃO PAULO - A reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) concentra as atenções dos investidores e operadores nesta tarde. Amanhã, o cartel se reúne em caráter emergencial em Viena.

A expectativa de alguns agentes é de que o grupo reduza sua produção.

Segue em pauta a questão do equilíbrio entre oferta e demanda. As preocupações com a situação econômica mundial devem repercutir na procura por produtos energéticos, causando uma diminuição.

O ministro do Petróleo da Argélia e atual presidente da Opep, Chakib Khelil, manifestou esperar um corte "significativo" da produção uma vez que a oferta global supera a demanda em quase 2 milhões de barris diários.

O Irã também defende um enxugamento na produção do cartel com intuito de frear o recuo nos preços do petróleo.

Minutos atrás, em Londres, o Brent para dezembro subia US$ 2,44, a US$ 66,96. O vencimento de janeiro de 2009 estava a US$ 68,26, com elevação de US$ 2,31.

Em Nova York, o WTI com entrega em dezembro era transacionado a US$ 68,97, com alta de US$ 2,22. O contrato de janeiro de 2009 se situava em US$ 69,30, avanço de US$ 2,14.

(Juliana Cardoso | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.