Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras, Vale e siderúrgicas puxam alta de 3,63% na Bovespa

SÃO PAULO - Os investidores começam o ano otimistas, impulsionando a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para próximo dos 39 mil pontos. Por volta das 13h20, o Ibovespa ganhava 3,63%, para 38.

Valor Online |

913 pontos, com giro financeiro em R$ 512 milhões.

A sexta-feira também é de valorização em Wall Street. Depois de um breve passeio pelo território negativo, , o Dow Jones apontava alta de 0,40%, enquanto o Nasdaq subia 0,36%.

Segundo o diretor da Intrade, Edson Hydalgo Júnior, o baixo volume do dia tira parte do brilho da subida. O giro projetado para a sexta-feira está em apenas R$ 1,3 bilhão. Em dias de mercado forte, a ação PN da Petrobras movimenta tal valor sozinha.

Observando o mercado graficamente, Júnior acredita que o Ibovespa começa a ganhar um contorno melhor. O Ibovespa pode testar os 40.400 pontos no curto prazo e confirmado tal patamar tem mais dois objetivos, aos 42 mil e 45 mil pontos. Mas para atingir esses preços não pode perder os 36.300 nas eventuais correções que vão acontecer.

Para o diretor, o primeiro trimestre de 2009 deve ser bastante fraco, com os agentes digerindo os desdobramentos da crise mundial. No entanto, passado esse período a confiança deve voltar a melhorar e sem surpresas negativas é possível que o Ibovespa tenha um quarto trimestre de franca recuperação, retomando os 60 mil pontos.

Segundo o especialista, os investidores aguardam indicações de retomada do consumo nos Estados Unidos e esperam os investimentos em infra-estrutura anunciado por governo ao redor do mundo.

" Como a bolsa caminha na frente, quando enxergarmos sinais de que o risco de quebras de bancos não existe mais e os consumidores voltarão às compras o mercado melhora " , resume.

Parte dos ganhos do dia também pode ser atribuída ao ajuste de carteiras de fundos que acompanham o Ibovespa. Apesar de o índice seguir com os mesmos 66 papéis, o peso de alguns ativos sofreu alteração, o que obriga os gestores a elevar o diminuir a participação dos ativos nas suas carteiras.

Puxando os ganhos dentro do índice, Petrobras PN valorizava 3,54%, para R$ 23,64, mesmo com o petróleo registrando queda no mercado externo. Bom desempenho também para a ação PNA da Vale, que saía a R$ 25,10, alta de 5,06%.

As siderúrgicas também sobem forte. Todo o setor de commodities ganho fôlego depois de Índia e China tomaram novas medidas para garantir o crescimento. O governo indiano voltou a cortar a taxa de juros e os chineses estudam medidas de apoio ao setor siderúrgico e automotivo.

Há pouco, o ativo ON da CSN apresentava alta de 4,55%, para R$ 30,32. Usiminas PNA ganhava 3,31%, para R$ 27,40, e Gerdau PN aumentava 3,25%, para R$ 15,55.

Destaque de alta para Embraer ON, que subia 9,42%, para R$ 9,64, Aracruz PNB valorizava 7,22%, negociado a R$ 2,67, a empresa de papel e celulose aumentou seu peso dentro do índice.

Seguindo os pares internacionais, os bancos ganham valor. Itaú PN puxava a fila avançando 4,03%, para R$ 27,06. Bradesco PN subia 2,65%, para R$ 23,19. Já as units do Unibanco apontavam alta de 2,70%, a R$ 15,19.

Na ponta oposta, Telemar ON recuava 2,68%, para R$ 37,66. O frigorífico JBS ON perdia 2,63%, a R$ 4,80, e ação ON da Cosan desvalorizava 2,13%, a R$ 11,00.

O dia também de poucos negócios no mercado de câmbio, mas o movimento vendedor iniciado na terça-feira, data da formação da Ptax (média das cotações ponderada pelo volume) que liquida os contratos futuros, ainda prevalece. Há pouco, o dólar comercial valia R$ 2,327 na venda, queda de 0,29%.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG