Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras, Vale e NY fazem Ibovespa ceder 1,03%

Depois de um pregão bastante volátil, a Bovespa novamente fechou em baixa, pressionada sobretudo pelas ações da Petrobras e Vale. O preço do petróleo, que ontem caiu 8%, hoje perdeu mais 9% e se abateu sobre as ações da estatal brasileira, que tiveram o maior giro do pregão.

Agência Estado |

O mercado acionário de Nova York continuou como referência e, em queda hoje, contribuiu para o resultado negativo doméstico.

O Ibovespa, principal índice de ações brasileiro, terminou o dia em baixa de 1,03%, aos 39.536,27 pontos. Na mínima, o Ibovespa atingiu 38.995 pontos (-2,38%) e, na máxima, 40.498 pontos (+1,38%). No mês, acumula ganhos de 8,04%, e, no ano, perdas de 38,11%. O giro financeiro diminuiu à tarde e concluiu a sessão em R$ 3,724 bilhões.

A seis pregões de fechar 2008 (a partir de amanhã), poucos arriscam montar grandes posições nas carteiras. Assim, o que tem ocorrido é troca de papéis, hoje com venda de blue chips (ações de primeira linha). Passado o vencimento de opções sobre índice, ontem, aqueles que vinham segurando Petrobras e Vale para exercer suas opções (de compra ou venda) decidiram se desfazer das ações. Vale perdeu 4,92% na ação ON e 4,09% na PNA.

Petrobras, influenciada pelo petróleo, recuou 5,20% a ON e 3,49% a PN. Hoje, o petróleo caiu 9,59%, para US$ 36,22, na Bolsa Mercantil de Nova York. Esta foi a quinta sessão consecutiva de baixa, período no qual as perdas atingem 24,51%. Ontem, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) anunciou um corte de 2,2 milhões de barris por dia na produção, a partir de janeiro, mas isso não impediu que as cotações continuassem a cair, em razão, principalmente, do enfraquecimento da demanda decorrente da crise mundial.

Sobre o assunto, o Banco Central explicitou na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta manhã, que há uma possibilidade de redução nos preços da gasolina. E, se efetivada, afeta diretamente Petrobras, que passaria a vender por um preço mais baixo. O documento também reforçou a expectativa de corte na taxa básica de juro a partir de janeiro e foi considerado mais suave do que o inicialmente esperado.

O setor siderúrgico também teve destaque hoje, com algumas notícias movimentando o segmento: a CSN anunciou que a venda de 40% da Namisa está prestes a ser concluída; a Usiminas anunciou a compra da fabricante de tubos Zamprogna; e a Associação Mundial de Aço informou que a produção mundial de aço bruto caiu 19% em novembro na comparação com igual mês de 2007. CSN ON subiu 1,78% e Usiminas PNA ganhou 0,35%.

Nos Estados Unidos, as bolsas tiveram uma sessão volátil, acentuada pelo desempenho do petróleo e pelo comportamento dos papéis das montadoras. Enquanto aguardam um pacote de ajuda do governo, a General Motors e a Chrysler reabriram as negociações de fusão. Às 18h15, o Dow Jones caía 2,32%, o S&P, 1,94%, e o Nasdaq, 1,78%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG