Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras vai investir US$ 11,1 bi na refinaria do Ceará

O diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, confirmou hoje que será assinado amanhã o memorando de intenções para a construção de uma refinaria premium no Ceará no valor de US$ 11,1 bilhões. Segundo ele, estão incluídos neste valor os investimentos necessários para adaptar a infra-estrutura do porto de Pecém para o embarque dos combustíveis processados na nova refinaria, com destino à exportação.

Agência Estado |

A capacidade de processamento será de 300 mil barris por dia - que deverá operar com metade desta capacidade a partir de 2014. O volume restante estará disponível em 2016. Ainda de acordo com o executivo, um grupo de trabalho da Petrobras e do governo do Estado do Ceará tem os próximos 120 dias para elaborar um termo de compromisso, que contará com maior detalhamento sobre a estratégia de implementação da unidade no Ceará. A previsão é de que a construção da refinaria gere 90 mil empregos diretos e indiretos.

Além da unidade do Ceará, a Petrobras vai investir mais US$ 20 bilhões em outra refinaria premium no Maranhão, com capacidade para produção de 600 mil barris por dia. A unidade também será voltada para a exportação de produtos de alto valor agregado para os mercados europeu e americano. "Estas duas premium vão ter produtos de altíssima qualidade", comentou.

Segundo ele, a decisão da Petrobras de construir as duas refinarias faz parte da estratégia de aumentar a capacidade de refino para atender ao crescimento da produção previsto para os próximos anos. "Ainda sem considerar o pré-sal, a estatal vai produzir 3,7 milhões de barris por dia em 2015. Nossa capacidade atual de refino é de 1,9 milhão", lembrou.

Índia

A Petrobras está negociando com a indiana Reliance investimentos em comum na área petroquímica no país, informou o diretor da estatal. Segundo ele, a Reliance é muito forte no segmento petroquímico em seu país e a Petrobras já enviou à Índia técnicos e executivos para conhecer de perto sua experiência no setor.

Costa também comentou que a Reliance se mostrou "interessada" em participar da composição acionária do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj)". "Mas estas conversas são ainda muito preliminares, estamos avançando mais rapidamente em Pernambuco", disse.

Venezuela

Indagado sobre as negociações junto à venezuelana PDVSA, sua parceira de investimentos na refinaria de Pernambuco, Costa disse que as negociações estão mantidas e que está sendo finalizado no momento o contrato para o fornecimento do óleo a ser processado na unidade, que virá da Venezuela.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG