SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras anunciou nesta segunda-feira a assinatura de dois contratos para modernizar a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Segundo a estatal, os contratos somam 4,73 bilhões de reais. A empresa informou no seu site que o primeiro contrato, assinado com o consórcio Camargo Corrêa-Promon, vale 2,48 bilhões de reais para construir a nova unidade de coqueamento retardado, U-2212. As obras vinculadas a esse acerto têm prazo de 1.313 dias para serem executadas.

'O coqueamento retardado é um processo de conversão térmica que transforma frações pesadas do petróleo em derivados de maior valor agregado, como GLP (gás de botijão), nafta, gasóleo (derivado utilizado como matéria-prima para obtenção de GLP e gasolina) e coque (derivado utilizado na industria de siderurgia, celulose e cerâmica)', explicou a nota da estatal.

O segundo acerto foi firmado com o consórcio Interpar, formado por Setal, Mendes Jr. e MPE, vale 2,25 bilhões de reais e se refere às interligações das unidades de Coque/HDT (hidro tratamento) e gasolina, com prazo de conclusão em 1.115 dias.

A Petrobras afirma que investiu até o momento mais de 7,2 bilhões de reais na modernização da Repar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.