Tamanho do texto

RIO - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou hoje que a empresa não terá problemas de recursos para explorar as áreas do pré-sal que tem sob concessão. Para as áreas não licitadas na região, o executivo lembrou que qualquer decisão depende da definição do novo marco regulatório.

No entorno de Tupi nós temos condições (de explorar). Agora, para toda a área do pré-sal será provavelmente necessário ter um novo marco regulatório, uma nova situação e novos investidores, frisou Gabrielli. O executivo participou hoje de cerimônia de lançamento do programa Petrobras Ambiental, que vai destinar R$ 500 milhões para ações na área do meio ambiente até 2012.

Gabrielli confirmou que o novo plano de investimentos da companhia - que deve ficar pronto em setembro e contemplará os investimentos até 2013 - deverá trazer os recursos necessários para explorar os blocos que a empresa tem no pré-sal.

Sobre o desenvolvimento das áreas não licitadas da reserva pré-sal, Gabrielli frisou que as mudanças no marco regulatório só serão discutidas no âmbito da comissão interministerial, que foi criada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para debater o assunto.

Além disso, o executivo deixou claro que ainda é cedo para falar no volume de recursos que seria necessários para o desenvolvimento de todo o pré-sal. São muitos recursos para desenvolver o pré-sal, que é uma província extremamente grande e o conhecimento que se tem delas hoje é muito limitado. Portanto, dizer quanto se precisa é muito difícil com os conhecimentos que se tem hoje, disse.

Gabrielli acrescentou que, no ano passado, apenas 6% do que foi gerado de riqueza pela companhia ficou com acionistas governamentais e privados, enquanto os outros 94% foram para investimentos e pagamento de impostos e participações.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.