Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras quer construir unidade de liquefação de gás natural em terra

RIO - A Petrobras pode concluir até 2013 a construção de uma unidade em terra (onshore) de liquefação e armazenamento de gás natural. A diretora de Gás e Energia da companhia, Maria das Graças Foster, afirmou que parte dos recursos necessários para a construção da planta já estão disponíveis dentro dos US$ 5,2 bilhões que serão investidos em novos projetos da área até 2013.

Valor Online |

Entre 2009 e 2013, a Petrobras planeja investir US$ 10,6 bilhões na área de Gás e Energia, dos quais US$ 5,2 bilhões em novos projetos. Deste total, US$ 3,7 bilhões serão para novos projetos de gás natural, onde estaria incluída parte da verba necessária para a construção da planta de liquefação e armazenamento.

Maria das Graças reconheceu que talvez a construção da unidade vá além de 2013, mas ressaltou que, caso a construção termine até o fim deste prazo, novos recursos poderão ser direcionados para a unidade nas próximas revisões do plano estratégico.

"O plano estratégico é atualizado ano a ano", lembrou Maria das Graças, que apresentou hoje os dados do plano estratégico para a área de Gás e Energia.

A executiva não revelou a localização provável do empreendimento, mas ponderou que a região terá que ser capaz de funcionar como um hub (centro), recebendo o gás produzido nos campos da empresa. Maria das Graças explicou que um dos objetivos é construir a planta já acoplada a um terminal de regaseificação, possibilitando tanto a estocagem do gás natural liquefeito (GNL), quanto o embarque desse GNL ou a regaseificação para colocação na malha de gasodutos da companhia.

Segundo ela, haverá a necessidade de entrada em operação de mais um terminal de regaseificação no curto prazo - além dos já existentes no Ceará e no Rio de Janeiro - de forma a deixar a companhia confortável para cumprir os compromissos de geração de energia a partir de termelétricas a gás natural firmados no termo de compromisso com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A partir deste ano, o termo de compromisso estipula uma disponibilidade de gás natural capaz de gerar até 6.659 megawatts-médios de energia em 2011. Hoje o compromisso estipula capacidade de geração de até 3.701 MW médios caso haja necessidade. Em janeiro, a estatal precisou - de acordo com determinação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) - entregar gás para geração de 3.179 MW médios.

A partir de 2011, a estatal terá que fornecer o insumo para garantir capacidades crescentes de geração de energia, de acordo com os compromissos em três leilões de energia em 2007 e 2008. Ao final de 2013, a Petrobras deverá ser capaz de fornecer gás para geração de 8.787 MW médios de energia.

A expectativa da companhia é de que o terceiro terminal seja construído juntamente com a planta onshore de liquefação, mas Maria das Graças admitiu que, caso a construção desta unidade extrapole o horizonte de 2013, a empresa deverá optar por construir o terceiro terminal de regaseificação em outra região.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG