Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras puxa alta da Bolsa; Sadia e TIM disparam com rumor de venda

A Bovespa caminhava há pouco para a terceira sessão consecutiva de alta, em movimento sustentado principalmente pelo ganho nos papéis da Petrobras e do setor financeiro. Os destaques, contudo, vão ficando com as ações de Sadia e TIM Participações, que lideram as altas do Ibovespa, a partir de informações e rumores acerca da venda das companhias.

Agência Estado |

Há instantes, o Ibovespa avançava 0,27%, aos 34.905 pontos. No mesmo horário, TIM Participações ON ganhava 8,29%, TIM Participações PN subia 8,67% e Sadia PN avançava 11,64%, as três maiores altas do índice.

As ações da TIM Participações reagem em alta à notícia de que a Telecom Itália estaria estudando a possibilidade de venda das operações de serviços de rede de linhas fixas do grupo ou a unidade brasileira, a TIM Participações. A notícia foi publicada hoje pelo jornal italiano Il Sole 24 Ore.

O jornal informa ainda que a candidata natural à compra seria a Telefónica, mas que qualquer decisão sobre a TIM Brasil ou as operações de rede não é considerada iminente. O comitê da empresa vai se reunir no dia 2 de dezembro para aprovar o plano de negócios do grupo para 2009 a 2011. Fontes próximas ao assunto, contudo, disseram que a Telecom Itália considera sua unidade de telefonia móvel no Brasil, a TIM Participações, um ativo fundamental e não vai colocá-la à venda.

Sadia PN, por sua vez, dispara na Bovespa pelo segundo pregão consecutivo, diante de rumores de que a companhia poderia ser alvo de compra pela Nestlé. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Sadia afirmou que o rumor sobre uma possível venda "não procede". Pouco antes de entrar em leilão, o ganho no papel era de 9,85%. Ontem, Sadia PN liderou as altas do índice, com +15,12%. Na Bolsa de Nova York, os ADRs da companhia brasileira fecharam a sessão com ganho de 14,85%.

No início do mês, o presidente da Nestlé no Brasil, Ivan Zurita, afirmou que a companhia anunciaria a aquisição de uma empresa de alimentos até o Natal, o que deu mais fôlego aos rumores. "Por enquanto são apenas boatos. Mas isso seria positivo para a Sadia, principalmente depois dos problemas com derivativos", comentou um operador.

Petrobras ON subia 0,56% e Petrobras PN, +1,60%, esta última com giro de R$ 137,109 milhões, equivalente a 22% do giro total da Bovespa, de R$ 615 milhões. Na Nymex eletrônica, o contrato de petróleo com vencimento em janeiro subia mais de 3%, de volta aos US$ 52 por barril. "Há um movimento grande nas preferenciais (de Petrobras) e são estrangeiros voltando para o papel", comentou um operador. Morgan Stanley, Credit Suisse e UBS Pactual lideravam as compras pouco antes das 12h30.

Vale ON perdia 0,78% e Vale PNA ganhava 0,38%. Na Comex, o cobre ganhava mais de 2%. Segundo a agência Dow Jones, os metais experimentam uma sessão de alta hoje na esteira do corte de juro na China. Mais cedo, foi noticiado que o Banco do Povo cortou a taxa de referência de depósitos e a de empréstimo em 1,08 ponto porcentual, para estimular o crescimento firme do crédito. A informação estimulou a cobertura de posições vendidas, também no mercado de petróleo, segundo a agência.

Entre os bancos, Unibanco Unit subia 0,36%, Banco do Brasil ON ganhava 1,55%, Bradesco PN avançava 1,25% e Itaú PN, +1,30%. Banco Nossa Caixa ON recuava 0,24% no mesmo horário. Convém destacar que o papel acumula alta de 180% em 2008, diante da compra pelo Banco do Brasil.

Dentre as maiores baixas do Ibovespa destaque para Oi (ex-Telemar) PN (-2,76%), VCP PN (-2,42%), Vivo PN (-2,12%) e Cesp PNB (-2,00%).

Conforme operadores, o Ibovespa deverá operar com volatilidade nas próximas horas, atento aos dados econômicos que serão divulgados nos Estados Unidos - a agenda hoje é carregada, uma vez que amanhã é feriado de Ação de Graças naquele país e a divulgação de indicadores ficou concentrada nesta quarta-feira.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG