A Petrobras irá ingressar na produção de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar, revelou hoje a diretora de Gás e Energia da estatal petrolífera, Maria da Graça Foster. A companhia pretende colocar em operação até 2012 o projeto da térmica a biomassa Britarumã, com 60 megawatts (MW) de potência instalada e localizada no Estado de Goiás.

"Começamos modestamente, mas temos uma meta de alcançar entre 1 mil MW a 1,5 mil MW de geração de eletricidade a partir do bagaço da cana", afirmou.

A entrada da Petrobras na co-geração integra a estratégia de diversificar a carteira de projetos em geração de energia. Até 2012, a meta é adicionar ao seu parque gerador 1,774 mil MW de capacidade instalada. Desse volume, 548 MW virão de térmicas a gás natural, 904 MW em usinas a óleo e 262 MW de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH), além dos 60 MW da térmica a biomassa. "Com isso, a Petrobras se apresenta ao mercado como um gerador de eletricidade de fontes diversificadas", disse a executiva. Esses novos empreendimentos demandarão R$ 3,2 bilhões de investimentos da estatal.

Segundo Maria da Graça, a expansão da capacidade instalada da companhia permitirá que a Petrobras se consolide como a sétima maior geradora de energia do País. Atualmente, a estatal possui 20 usinas em operação, entre térmicas e PCHs, o que totaliza uma potência total de 4,53 mil MW. A empresa é a maior produtora de eletricidade a partir de térmicas a gás natural.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.